Recém-iniciada, vacinação pode parar por falta de estoque; dia 25, Sintrajufe/RS realiza live sobre o tema


12.Fevereiro.2021 - 15h48min

A vacinação contra o novo coronavírus no Brasil tem um início lento e já pode parar. Menos de 5 milhões de brasileiros e brasileiras, entre uma população de mais de 210 milhões, já foram vacinados, e o ritmo lento, que pode trazer graves consequências, tem perspectivas de piora: em diversos locais, a vacinação deverá ser interrompida nos próximos dias por falta de estoque. É o caso, inclusive, do Rio Grande do Sul.

Conforme matéria publicada nesta sexta-feira, 12, no site GZH, “é bem provável que as cenas nos postos de vacinação e pontos de drive-thru que vimos nesta semana e que injetaram esperança em meio à pandemia de coronavírus não serão mais vistas por alguns dias a partir do momento que terminar o lote atual de imunizantes”. O lote atualmente utilizado está se esgotando e o Ministério da Saúde não tem um cronograma definitivo para os novos lotes, embora haja previsão – não confirmada – de nova entrega na segunda-feira, 15.

Salvador já suspendeu vacinação de profissionais de saúde, Rio só tem até amanhã

Também nesta sexta-feira, 12, o jornal O Estado de S. Paulo publicou reportagem destacando que em diversas capitais já há restrição da vacinação e previsão de suspensão da campanha. O público-alvo inicial, que já era pequeno e que vem sendo vacinado em ritmo muito lento (no ritmo atual, como o Sintrajufe/RS já noticiou, em 2024 teremos apenas 70% da população vacinada), está sendo ainda mais reduzido pelo esgotamento dos estoques e pela falta de previsão de novas entregas. O Rio de Janeiro, por exemplo, possui doses apenas até amanhã, sábado. Salvador, por sua vez, já suspendeu a vacinação de profissionais de saúde e reviu o cronograma que previa iniciar nesta semana a vacinação de idosos com mais de 80 anos. Florianópolis e Curitiba, conforme o jornal, também veem suas doses acabando nos próximos dias, assim como Cuiabá, Aracaju e Natal.

A falta de uma coordenação nacional para a vacinação e de empenho antecipado e presente para a aquisição de novas doses por parte do governo federal deverão deixar a população sem vacinação por alguns dias. Mesmo quando for retomada, não há perspectiva para melhora do ritmo, embora o ministro da Saúde tenha prometido, no Senado, vacinar toda a população até o final do ano.

No dia 21 de janeiro, em nota intitulada “Não há tempo a perder: Vacina, testagem e o fim desse governo!”, o Sintrajufe/RS já alertava para o risco: “Comemorado, o primeiro lote de vacina para a Covid-19 imunizará apenas 2,8 milhões de brasileiros e brasileiras entre uma população de mais de 211,8 milhões – ou seja, apenas 1,3%. O presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde estima que o primeiro lote esteja esgotado em uma semana. Não há previsão de data para o recebimento de mais doses. A massiva propaganda do imunizante cria esperança, mas, por detrás das peças de marketing eleitoral, fica a dura realidade: não há vacinas suficientes (...)”.

No dia 25, Sintrajufe/RS realiza live “Minha vacina chega quando?”

Para debater a necessidade de vacina urgente, gratuita e pelo SUS para todos e todas, no dia 25 de fevereiro o Sintrajufe/RS realiza a live “Minha vacina chega quando?”. Será às 18h30min, pelo canal do Sintrajufe/RS no Youtube e pelo Facebook,  tendo como painelista o médico e ex-presidente da Anvisa Gonzalo Vecina Neto. A live também contará com a participação de outros dois debatedores. Estarão presentes a médica infectologista, diretora do Sindicato dos Médicos de SP e da CUT/SP, Juliana Salles; e do médico especialista em saúde pública e integrante da assessoria de saúde do Sintrajufe/RS, Geraldo de Azevedo e Souza Filho.

Veja AQUI todas as informações sobre a atividade.

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Troca de Usuário

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.