Reforma administrativa: estudo indica quebra de paridade como impacto nas atuais e futuras aposentadorias


11.Fevereiro.2021 - 15h41min

Desde a apresentação da proposta de emenda à Constituição (PEC) 32/2020 pelo governo Bolsonaro, o Sintrajufe/RS vem alertando que a reforma administrativa vai atingir o conjunto do funcionalismo, tanto os atuais quanto novos servidores e servidoras. E um dos impactos pode ser a quebra da paridade. Essa é a conclusão de um estudo recente divulgado pela assessoria parlamentar da Fenajufe.

Segundo o estudo, se aprovada, a PEC 32/2020 trará, entre seus principais impactos, o fim da paridade, ou seja, a extinção desse mecanismo de reajuste automático, pareado com aqueles eventualmente auferidos pelos servidores da ativa. De acordo com o documento, “isso se deve a um conjunto de fatores. Entre eles a adoção de contratos atípicos, o fim da estabilidade e a instauração da rotatividade no setor público”.

Essas mudanças poderão resultar em “total ruptura com a situação atual, pois as atuais carreiras e cargos não teriam identidade com as carreiras e cargos futuros, ou seja, não haveria mais paradigmas a serem objeto de comparação, para fins de paridade, e o quadro atual seria um mero ‘quadro em extinção’”.

Por sua vez, a Nota Técnica 250, do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos e Estatísticas (Dieese), publicada no início de fevereiro, afirma que mudanças previstas na PEC 32/2020 acarretarão queda das receitas do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS). Isso gerará “impactos negativos para os servidores aposentados (possibilidade de cobrança de alíquota extraordinária e aumento de base de contribuição) e atuais servidores (possibilidade de cobrança de alíquota extraordinária)”.

O assessor parlamentar da Fenajufe Thiago Queiroz reforça que os danos que a reforma vai provocar não são apenas para futuros servidores e servidoras, mas também para os atuais aposentados e aposentadas. Para ele, “a quebra do Regime Jurídico Único (RJU), a criação de novos vínculos funcionais e a possibilidade de fusão ou extinção de carreiras previstas para ocorrer em outras fases da reforma resultará na fragilização dos paradigmas e das simetrias entre os servidores ativos e os inativos, promovendo a quebra da paridade”.

Sintrajufe/RS mantém mobilização e ações contra aprovação da reforma administrativa

Nos últimos meses, o Sintrajufe/RS vem realizando uma campanha de mídia na luta contra a reforma, denunciando os efeitos que acarretaria para servidores e servidoras e para a população em geral. Além disso, o sindicato participa de mobilizações, juntamente com diversas entidades, no enfrentamento à EC 32/2020 e pelo fim do governo Bolsonaro.

Veja abaixo um dos vídeos da campanha:

 

 

  Veja AQUI o estudo da assessoria parlamentar.

Veja AQUI a Nota Técnica do Dieese.

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Troca de Usuário

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.