Vencedores dos concursos Literário e Fotográfico do Sintrajufe/RS falam sobre a premiação, motivações e projetos


17.Dezembro.2020 - 20h13min

Em 2020, muitas coisas mudaram. As que se mantiveram, aconteceram em novos formatos, adaptando-se aos tempos difíceis decorrentes da pandemia. O Sintrajufe/RS manteve os concursos Literário Mario Quintana e Fotográfico, que estão em sua 16ª edição. No entanto, neste ano atípico, não ocorreu a tradicional cerimônia de entrega dos troféus, não houve os gritos das torcidas, os abraços de familiares e amigos. Mas isso não tira a alegria de vencedores e vencedoras nem a emoção de todas as pessoas envolvidas. O Sintrajufe/RS ouviu algumas delas, para falarem sobre a participação nos concursos.

Neste ano, o tema dos concursos foi a pandemia. Sem a cerimônia de premiação, as classificações foram divulgadas diretamente pela internet. No total, foram 424 inscrições e 23 premiações no Literário e 35 inscrições e 15 premiações no Fotográfico.

As fotografias vencedoras serão publicadas no calendário 2021 do Sintrajufe/RS e podem ser conferidas no álbum AQUI.

Os textos vencedores do Concursos Literário Mario Quintana e a produção de alunos e alunas da oficina de escrita criativa do Sintrajufe/RS podem ser conferidas no e-book AQUI.

Concurso Fotográfico

Christianne Barros  

Christianne Barros, dependente de sindicalizado, recebeu, pelo segundo ano consecutivo, o prêmio de 1º lugar no Concurso Fotográfico na categoria Sintrajufe; neste ano, também ganhou uma menção honrosa. Christianne, que é fonoaudióloga, conta que a foto vencedora foi instintiva: “Sou eu na foto trabalhando. Estava em um dia trabalhoso, cansada e um pouco sufocada do uso de 6 horas contínuas de máscara. Foi quando vi aquele dia lindo, aquela luz e isso me deu uma revigorada. Uma esperança em dias melhores, uma esperança nos milhares de cientistas que estão batalhando por vacinas. Foi assim que nasceu a foto. Não sabia qual a posição que ela poderia alcançar, mas foi tão carregada de sentimento que algo me dizia que a equipe avaliadora iria captar”.

De qualquer forma, “foi uma surpresa”, diz Christianne, e um incentivo a seguir se aperfeiçoando. A fotografia para ela é um hobby, algo incentivado em família, na qual a arte sempre foi muito valorizada. “Sempre gostei de desenhar e pintar. A fotografia foi uma extensão dessas duas práticas desde a adolescência. Mas na vida adulta se tornou mais frequente”. Ela parabeniza o Sintrajufe/RS por promover concursos na área cultural: “Acho que é de um entendimento maduro do quanto a arte é fundamental e salutar. O quanto ela é intrínseca ao nosso ser e nos sentirmos humanos”.

 

Ismael Herlane Gonçalves Holanda  

Jornalista e psicólogo, Ismael Herlane Gonçalves Holanda foi o primeiro colocado na categoria Geral e afirma que recebeu a notícia “com muita surpresa, não esperava um primeiro lugar”. Já havia se inscrito em outras competições, mas essa foi a primeira em que foi o vencedor. Ele começou a fotografar por força da profissão na área de comunicação, passou a gostar e desenvolver sua técnica. Para Ismael, que mora em Recife (PE), o Rio Grande do Sul “tem dado sorte, acolhido bem o meu trabalho”. Algumas de suas fotografias estão atualmente na Street Photo Expo, no viaduto da Borges de Medeiros, em Porto Alegre, a maior exposição a céu aberto do país. Sobre as fotos enviadas para o Concurso Fotográfico do sindicato, ele explica que “a pandemia limitou muito o trabalho”. Ismael ficou algum tempo afastado do trabalho presencial, foi se sentindo deprimido. Fotografar em casa, buscando imagens nesse espaço, ajudou-o a superar aquele momento. O fotógrafo elogiou o concurso, um “projeto muito bem organizado, que valoriza o artista”.

Concurso Literário Mario Quintana

Renata dos Santos Ruffo  

“Foi uma grande e inesperada surpresa!”, dessa forma Renata dos Santos Ruffo explica como recebeu a notícia de havia ficado em primeiro lugar na modalidade Regional, categoria Poesia. Ela publicou o primeiro livro há alguns meses, mas a pandemia prejudicou a divulgação. “Isso acabou me frustrando bastante em relação à escrita, trouxe muitos questionamentos sobre a qualidade dos meus textos. Então, quando vi que meu poema havia ficado em primeiro lugar no Prêmio, foi uma felicidade enorme. Me deu a força que eu precisava para seguir na escrita”. Renata é professora em Porto Alegre e escreve desde criança, mas começou a se dedicar à poesia apenas em 2014.

 

Schleiden Nunes Pimenta  

Schleiden Nunes Pimenta, advogado, escritor e revisor de textos, mineiro que mora em Bernardino de Campos (SP), foi o vencedor na modalidade Nacional, categoria Crônica. Ele conta que “essa premiação é muito importante para mim por vários fatores. Antes de qualquer coisa, participo de concursos literários há alguns anos e considero o prêmio Mario Quintana um dos mais bem organizados, respeitados e sólidos certames que há no Brasil. Sem dúvidas o seu troféu é um dos que eu mais me orgulho de ter na minha estante”. É a segunda vez que Schleiden é selecionado no concurso do sindicato; a primeira foi o 1° lugar na categoria Poesia, em 2012. “No caso de minha crônica de agora, percebo a humanidade que há por trás da análise dos julgadores. Ambos são textos que trabalham a nossa história, o direito das minorias, na tentativa de trazer reflexão para a sociedade. Isso me faz ter o Sintrajufe ainda em mais alta conta”. Ele já tem três livros publicados e 23 prontos para publicação, entre romances, contos, crônicas, poesias e novelas. Planos? Ele brinca: “Inevitavelmente, meu próximo objetivo é completar a coleção das estatuetas (que são lindíssimas). Vou em busca da categoria ‘contos’ no ano que vem”.

Atualizado em 18/12/2020, às 15h44min.

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Troca de Usuário

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.