Sintrajufe/RS realiza reunião com colegas da JF de Pelotas para tratar da pandemia e da reforma administrativa


13.Outubro.2020 - 17h09min

Mesmo à distância, por conta da pandemia, o Sintrajufe/RS tem se mantido em contato direto com os colegas da capital e do interior do estado. Na última sexta-feira, 9, o sindicato realizou uma reunião, por videoconferência, com os servidores e as servidoras da Justiça Federal de Pelotas. A conversa teve como temas as medidas em torno da pandemia e a reforma administrativa enviada por Jair Bolsonaro (sem partido) ao Congresso.

Na abertura da reunião, o diretor Zé Oliveira lembrou que o sindicato segue ativo durante a pandemia. Ele explicou que estão sendo realizadas diversas reuniões com setores da categoria, de acordo com as demandas de cada momento, para ouvir os colegas, assim como o sindicato tem se reunido periodicamente com as administrações para tratar dos interesses e necessidades da categoria.

Pandemia, trabalho remoto e testagem

O diretor destacou que, desde o início da pandemia, o Sintrajufe/RS vem defendendo o trabalho remoto como forma de proteção de todos e todas que fazem parte da comunidade em torno do Judiciário Federal, incluindo os servidores e servidoras e suas famílias e os demais trabalhadores e trabalhadoras vinculados ao Poder. Na Justiça Federal, porém, ressaltou o dirigente, é recorrente a pressão pela retomada dos trabalhos presenciais, especialmente por parte de setoriais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Nas últimas reuniões, relatou Zé Oliveira, o próprio presidente do TRF4 e alguns setores da magistratura passaram a defender a reabertura, desconsiderando o fato de que a maior parte do trabalho segue sendo realizado normalmente, mesmo à distância.

O dirigente apresentou, então, um relato da última reunião entre o sindicato e administração, com o diretor-geral, já que, apesar das solicitações do Sintrajufe/RS, não foi possível reunir-se com o presidente do tribunal. Ele apontou que o sindicato voltou a defender a continuidade do trabalho remoto, argumentando que não há condições seguras para o retorno às atividades presenciais. Ao mesmo tempo, o Sintrajufe/RS ingressou com ação judicial para garantir a manutenção do trabalho remoto, com pedido liminar, ainda sob exame. No pedido também consta a testagem para todos que retornarem ao trabalho presencial.

Por fim, Zé Oliveira relatou aos participantes da reunião que na própria sexta-feira o sindicato estivera no tribunal, juntamente com a assessoria de saúde, para verificar as condições em que está se dando o retorno ao trabalho presencial. Conforme informado extraoficialmente, estão trabalhando presencialmente 20% dos servidores e servidoras que não fazem parte dos grupos de risco – inicialmente, a determinação era de retorno ao trabalho de 20% dos servidores, sem especificações ou outros cortes.

Reforma administrativa

O diretor Marcelo Carlini apresentou aos participantes a situação e as perspectivas do sindicato em relação à reforma administrativa. Carlini falou de alguns prejuízos que serão causados a todos os trabalhadores e trabalhadoras se a reforma for aprovada. Ela representa, destacou, o desmantelamento ainda maior dos serviços públicos, afetando diretamente tanto os servidores e servidoras, que perdem direitos como a estabilidade e veem seus salários e empregos sob ameaça, quanto o conjunto da população, que fica sem o acesso a serviços públicos – da educação e saúde ao acesso à Justiça. Assim, defendeu o dirigente, é urgente combater a reforma e apontar um caminho por mais e melhores serviços públicos, não menos.

Carlini destacou que o Sintrajufe/RS já está se movimentando. Nos dias 15 e 30 de setembro, o sindicato participou de atos públicos contra a reforma, inclusive em Pelotas, onde a mobilização dos servidores obteve a aprovação de uma moção de repúdio da Câmara de Vereadores à proposta. E as ações de rua irão continuar. O próximo dia nacional de luta é 28 de outubro, dia dos servidores públicos. Assim que a programação for fechada, será divulgada nos meios de comunicação do sindicato. O Sintrajufe também vai acompanhar as mobilizações do dia 15 de outubro por ocasião do Dia do Professor, chamado pelas entidades ligadas à Confederação Nacional do Trabalhadores em Educação (CNTE).

Além das ações de rua, o diretor informou que o sindicato está realizando uma ampla campanha de mídia, com a veiculação de peças contra a reforma em rádio e televisão e nas redes sociais. Tudo para demonstrar para a população que, como diz a campanha “esta reforma não presta”. Os servidores atuais e futuros serão atingidos e a população vai perder direitos fundamentais. É preciso reagir com mobilização.

O diretor Zé Oliveira complementou explicando que o sindicato vai organizar reuniões virtuais com os deputados do Rio Grande do Sul para dialogar sobre a necessidade de rejeitar a reforma. A diretora Arlene Barcellos lembrou, ainda, que os aposentados estão perdendo direitos por meio de diversas medidas deste governo e do governo de Michel Temer (MDB) e que este problema irá se aprofundar caso a reforma administrativa seja aprovada.

Ao longo da reunião, os colegas tiveram espaço para apresentar suas perspectivas sobre esses temas e, também, para trazer questionamentos que foram respondidos pela direção. Essa dinâmica, de informação, escuta e diálogo, será mantida pelo Sintrajufe/RS com a sequência de reuniões com colegas de outros locais.

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Troca de Usuário

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.