Atos em todo o Brasil denunciaram reforma administrativa e defenderam valorização dos serviços públicos


01.Outubro.2020 - 15h14min

O Dia Nacional de Luta contra a reforma administrativa se espalhou pelo Brasil, com mobilizações nas capitais e em diversas cidades do interior. Trabalhadores e trabalhadores dos setores público e privado realizaram ações de denúncia e de defesa da valorização dos serviços públicos, ressaltando que qualificar os serviços oferecidos à população é uma pauta que interessa a todos os brasileiros e brasileiras.

Em Porto Alegre, o Sintrajufe/RS construiu, juntamente com centrais sindicais e outros sindicatos, um ato unificado em frente ao Hospital de Pronto-Socorro (HPS), ressaltando a importância do oferecimento de serviços gratuitos, inclusive de saúde, à população da cidade. O ato teve repercussão na mídia, com matéria publicada no Correio do Povo. O Sintrajufe/RS também participou da mobilização em Pelotas, onde uma moção de repúdio à reforma foi entregue aos vereadores pelos sindicalistas e aprovada em plenário.

No interior do Rio Grande do Sul, diversas outras cidades registraram mobilizações contra a reforma administrativa. Houve atos e outras ações de denúncia em pelo menos outras dez cidades: Bagé, Caxias do Sul, Ijuí, Passo Fundo, Rio Grande, Santa Rosa, Santo Ângelo, São Leopoldo, São Luiz Gonzaga e Três de Maio.

Em todo o Brasil, foram registrados protestos, em diversos formatos, em ao menos dezenove capitais, além de Porto Alegre: Aracaju, Rio de Janeiro, Recife, São Luís, Goiânia, Belo Horizonte, São Paulo, Campo Grande, João Pessoa, Teresina, Fortaleza, Florianópolis, Vitória, Belém, Natal, Curitiba, Brasília, Macapá e Cuiabá. Também no interior dos estados houve mobilizações, em cidades como Santos (SP), Caraguatatuba (SP), Juiz de Fora (MG), Criciúma (SC) e Blumenau (SC).

Luta contra a reforma continua

As mobilizações do dia 30 são parte de uma grande campanha nacional que está sendo construída para barrar a reforma administrativa. A campanha, que envolve centrais sindicais, sindicatos e movimentos populares, parte do entendimento de que a reforma desmonta os serviços públicos e, assim, deixará desassistida a maioria da população. Além disso, com o fim da estabilidade, o governo pretende abrir ainda mais espaço para o apadrinhamento e as perseguições políticas, com políticos e chefes passando por cima da autonomia e independência da atuação dos servidores públicos.

Por tudo isso, para defender mais saúde, educação e acesso à Justiça, o Sintrajufe/RS seguirá atuando, em parceria com outras entidades, para barrar a reforma de Bolsonaro e Guedes. Todas as próximas ações serão divulgadas nos meios de comunicação do sindicato. O Sintrajufe está preparando uma campanha de mídia para dialogar com a população e mostrar que "esta reforma não presta". O Brasil precisa de mais serviços públicos, e não menos! Fique atento e participe dessa luta!

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Troca de Usuário

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.