Núcleo do Sintrajufe/RS trata do trabalho na pandemia de colegas com deficiência e aprimora acessibilidade para ampliar participação


28.Agosto.2020 - 11hmin

No dia 26, o Núcleo de Pessoas com Deficiência do Sintrajufe/RS realizou nova reunião, online, dessa vez aprimorando a acessibilidade. Por sugestão de colegas com deficiência auditiva, todas as falas foram legendadas, em tempo real, com a contratação de serviço de estenotipia. A reunião tratou da situação de colegas PCDs no trabalho remoto e foram acolhidas sugestões e necessidades específicas para o eventual retorno à atividade presencial.

A utilização de legendas possibilitou que colegas com deficiência auditiva pudessem participar e interagir de forma igualitária com os demais. A colega Luisa Bergmann, da Justiça do Trabalho de Porto Alegre, ressaltou que foi “muito importante o reconhecimento pelo Sintrajufe de que a acessibilidade para surdos nem sempre se resolve com Libras. No meu caso, colega surda oralizada, com domínio do português, foi muito gratificante participar de uma live legendada”.

Saúde e trabalho remoto

A reunião contou com a presença do médico Rogério Dornelles, da assessoria de saúde do sindicato, e da diretora da Secretaria de Saúde e Relações de Trabalho Cristina Viana. Ambos passaram informações sobre o que está sendo encaminhado aos tribunais sobre trabalho e saúde de servidores e servidoras durante a pandemia. Foi reforçada a posição do Sintrajufe/RS pela manutenção do trabalho remoto enquanto não houver condições seguras para o retorno ao presencial, conforme aprovado na resolução “Em defesa da vida”, na última assembleia geral da categoria.

Para os e as colegas participantes da reunião, no trabalho remoto, é necessário que as condições de trabalho em suas residências sejam idênticas ou próximas das que desfrutam em seus locais de trabalho, com cuidados com ergonomia, por exemplo. Essa é a posição que vem sendo defendida pelo Sintrajufe/RS desde o início do isolamento.

Também foi afirmado que o retorno ao trabalho das pessoas com deficiência deve ser adiado, devido a vários fatores que as impedem de manter o distanciamento e à impossibilidade de não terem contato com superfícies contaminadas.

Além disso, foram levantadas dificuldades nesse período, como problemas para se comunicar, quando precisaram ir ao local de trabalho, devido ao uso de máscara; não conseguir fazer fisioterapia; problemas para uso de programas; chamadas telefônicas atendidas fora do horário de trabalho, entre outras.

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Troca de Usuário

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.