Procurador-chefe da PRR4 defende manutenção do trabalho remoto ao menos até o final de agosto


22.Julho.2020 - 17h54min

Foto: MARCO QUINTANA/JC

Em reunião realizada nessa segunda-feira, 20, o procurador-chefe da Procuradoria Regional da República da 4ª Região (PRR4), Marcelo Veiga Beckhausen, defendeu que o trabalho remoto seja mantido em todo o Judiciário Federal no Rio Grande do Sul ao menos até o final do mês de agosto. O Sintrajufe/RS participou da reunião, assim como a Presidência do TRF4, diretores de foro da Justiça Federal dos três estados da Região Sul e representantes da Advocacia-Geral da União, da Defensoria Pública da União, da Procuradoria da Fazenda Nacional, das seccionais da Ordem dos Advogados do Brasil de RS, SC e PR e de associações de juízes.

No encontro, o procurador-chefe defendeu a mesma política para os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. A Região Sul é, neste momento, um dos principais focos da pandemia do novo coronavírus, com altas taxas de crescimento nos casos e óbitos. Ele defendeu que, mesmo que as medidas de proteção adotadas permitam um retorno gradual aos locais de trabalho, o preocupante avanço da pandemia nos três estados aponta para a necessidade de manutenção do trabalho remoto.

O Sintrajufe/RS tem realizado diversas reuniões com todas as administrações no Rio Grande do Sul defendendo sempre toda a proteção possível para os trabalhadores e as trabalhadoras do Judiciário Federal e do Ministério Público da União e para seus familiares. A continuidade do trabalho remoto, neste momento, é uma necessidade. Ao mesmo tempo, quando for possível iniciar o retorno ao trabalho presencial, serão fundamentais amplas medidas de proteção, tema sobre o qual o sindicato também tem se mantido em diálogo com a população e com a categoria.

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Troca de Usuário

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.