Sintrajufe/RS distribui quase 500 exemplares da obra


12.Novembro.2019 - 15h53min

O Sintrajufe/RS realizou, no último sábado, 9, o lançamento do livro "Ponto Inicial", na Feira do Livro de Porto Alegre. A obra reúne os textos vencedores do Concurso Literário Mario Quintana 2019 e aqueles produzidos na oficina de escrita criativa do sindicato. Quase 500 exemplares foram distribuídos no evento, que lotou a sala de autógrafos coletivos da Feira, no Memorial do Rio Grande do Sul. Cerca de 400 pessoas passaram pela atividade.

Uma verdadeira multidão de familiares, colegas, amigas e amigos das escritoras e dos escritores participantes ocupou o local de lançamento, celebrando a literatura, a arte e a cultura. Foram muitos autógrafos distribuídos ao longo da tarde. O clima foi de grande animação, com o reconhecimento do trabalho das escritoras e dos escritores e do organizador Caio Riter e da importância do Sintrajufe/RS como agente estimulador da cultura.

Veja AQUI o álbum completo com as fotos do evento.

Sintrajufe/RS como agente cultural

O diretor do Sintrajufe/RS Paulinho Oliveira caracterizou o evento como "um enorme sucesso". Ele destacou a importância do Concurso Literário na própria história do Sintrajufe/RS, já que se trata de um evento reconhecido e elogiado no meio artístico e cultural e que atravessa as fronteiras da categoria e mesmo do Rio Grande do Sul. Para Paulinho, é um tipo de atividade que se torna ainda mais importante "nesse momento de absoluto horror, ter a arte aparecendo, cultura atuando, expressões pela palavra. É fundamental porque estamos em um momento de quase supressão da palavra. E assim a gente faz, além da resistência, o ataque, ir para a frente, agir. Não só ficar entrincheirado em uma resistência e deixando o horror tomar conta, deixando o fascismo se espalhar e se entranhar nas várias instâncias da sociedade, inclusive no meio artístico, no meio cultural. Além de um sindicato que faz as lutas da sua categoria e que está inserido nas lutas dos trabalhadores, o Sintrajufe/RS também é um agente cultural reconhecido por ampla parcela do próprio movimento cultural", completa Paulinho, recordando a exposição, inaugurada, em setembro, na galeria a céu aberto do sindicato com cartuns que foram alvo de censura na Câmara de Vereadores de Porto Alegre.

Caio Riter, organizador da obra, destaca as ações do Sintrajufe/RS como fundamentais para estimular a cultura e, especificamente, a escrita: "são super importantes essas alternativas que o sindicato promove a fim de que a gente possa, de uma forma ou outra, fazer surgir novos escritores, novos artistas da palavra. E, sobretudo, esse empenho de produzir um livro com qualidade, um livro bacana, que inaugura a história, a trajetória do pessoal, além de promover um prêmio literário que faz com que muitos escritores saiam do anonimato. É uma forma também de o sindicato se inserir na sociedade como produtor de cultura".

O escritor Alexandre Brito, homenageado com o 14º Troféu Palavra Viva (entregue na noite de premiação dos concursos culturais) também esteve presente. Para ele, "foi uma grata surpresa ser homenageado com o Troféu Palavra Viva. Eu já acompanho há algum tempo a premiação e o trabalho do Sintrajufe/RS. Eu tenho conhecimento das atividades, das oficinas culturais, é um sindicato muito engajado na questão cultural, que enxerga na cultura, na literatura, na expressão artística, formas de resistência também a essa nossa realidade brutal. Eu acho que o prêmio tem essa significação, e, pra mim, foi uma alegria muito grande também ter recebido o troféu do Ronald Augusto, que me antecedeu, que é um poeta que tem uma importância tão grande, um pensador, alguém muito envolvido com as lutas do movimento negro, meio que um filhote do Oliveira Silveira, e um amigo, um parceiro". Alexandre destaca a importância da cultura como forma de transformação da realidade: "a base de tudo isso é a imaginação, a inventividade, a criação e a possibilidade de sonharmos novos futuros, novas realidades para nós mesmos e para a nossa sociedade. A cultura tem um lado que é a fruição, o prazer estético, mas também o lado da contestação, da irreverência, da negação de tudo aquilo que de alguma forma violenta a vida. É a inventividade, a possibilidade de sonharmos um outro mundo mais igualitário, mais amoroso".

Escritores destacam importância do estímulo à cultura

A colega aposentada Lourdes Helena Rosa, que participou da oficina e do livro, também esteve no Memorial do RS para autografar exemplares da obra. Ela disse que se sente "gratificada por participar desse evento. É com a escrita que conseguimos soltar a imaginação, e essa atividade de escrever nos ajuda a enfrentar o dia a dia. É gostoso quando se trabalha com a emoção que provoca nos nossos leitores. É muito importante o sindicato proporcionar a oficina de escrita criativa. É a segunda vez que participo desse evento e me sinto muito gratificada por participar".

Regina Porto, que ficou com o primeiro lugar na categoria Crônica com o texto "Nem hoje nem depois de amanhã", começou a escrever com as oficinas do sindicato. Ela conta a importância da abertura desses espaços: "Eu desabrochei como escritora no Sintrajufe/RS. Eu tenho muito a agradecer, porque, especialmente hoje em dia, é difícil alguém que invista na cultura como o Sintrajufe/RS. Nesse livro de 2019 eu fui premiada com o primeiro lugar em Crônica, o que me deixa muito honrada. O Sintrajufe/RS oferecer esse espaço à comunidade só me faz ficar agradecida".

Renato Soares de Lima, segundo colocado em Crônica, também esteve no evento. Ele ressaltou a importância das ações culturais vindas de um sindicato, especialmente considerando o atual momento político: "O que me fez vir aqui, primeiro, é por ser um sindicato, o que, em um momento como esse, é muito importante. E um sindicato que está se dedicando às artes, em um momento como esse, me parece muito importante. Casualmente, acabei de ver o comício do Lula em São Bernardo e agora participo de um evento como esse. Como disse bem um diretor no evento de entrega dos prêmios e hoje eu vi na fala do Lula, o momento não é de reação, o momento é de agir. Na reação, esperam que ajam contra ti para tu tomar uma atitude. E aqui é um momento de atitude. E é o 15º ano de atitude".

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Troca de Usuário

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.