Luta que conquista: com greve, colegas do Judiciário Estadual derrotam projeto que extinguiria 5 mil cargos


30.Outubro.2019 - 17h05min

A luta dos colegas do Judiciário Estadual rendeu uma importante vitória nessa terça-feira, 29. Depois de mais de 30 dias de greve, a categoria derrotou, na Assembleia Legislativa, o PL 93/2017, que extinguiria cerca de 5 mil cargos de oficial escrevente, que hoje representam aproximadamente 60% da mão de obra do Poder Judiciário.

A greve completa 37 dias nesta quarta-feira, 30. Uma grande mobilização reuniu em Porto Alegre desde as primeiras horas da manhã mais de mil trabalhadores de várias comarcas do estado, que se concentraram em frente ao Tribunal de Justiça e, em seguida, saíram em caminhada para a Assembleia Legislativa. Na assembleia geral realizada em frente ao Palácio da Justiça, a categoria aprovou a continuidade da greve e uma assembleia para esta sexta-feira, 1º de novembro, na qual serão definidos os rumos do movimento.

A derrubada do projeto, que tinha a aprovação dada como certa pelo presidente do Tribunal, foi uma demonstração da força do movimento, na avaliação da direção do Sindjus/RS. “Essa conquista já representa um marco na história de lutas dos trabalhadores da Justiça gaúcha. Mostramos, após dois anos de arbitrariedades, que nossa união supera o autoritarismo desta Administração que se recusou a negociar conosco. Que esta vitória sirva de exemplo e combustível para as próximas lutas que teremos que travar”, concluiu o coordenador geral do sindicato, Fabiano Zalazar.

Ataques em todas as esferas exigem luta unificada

O Sintrajufe/RS saúda a vitória dos colegas do Judiciário Estadual. A integração entre as lutas dos servidores públicos das três esferas – além do conjunto da classe trabalhadora, incluindo os trabalhadores do setor privado – é fundamental para impedir os ataques que vêm de Jair Bolsonaro (PSL), Eduardo Leite (PSDB) e Nelson Marchezan Jr. (PSDB). As diretrizes de desmonte do serviço público e de precarização do trabalho dos servidores, indicada em relatório do Banco Mundial, estão sendo aplicadas em todas as esferas. No caso do funcionalismo estadual, o centro da luta é contra o pacote anunciado no início do mês pelo governador Eduardo Leite. No caso dos servidores federais, os ataques do governo Bolsonaro são sistemáticos e devem ter como próximos passos a reforma administrativa e o pacote de medidas que o ministro da Economia, Paulo Guedes, deve enviar ao Congresso nos próximos dias.

Assim, foi no sentido da construção conjunta da resistência a reunião realizada no dia 25 pela Frente dos Servidores Públicos, da qual ficou marcado um ato unificado no dia 14 de novembro, às 14h, no Largo Glênio Peres.

Com informações do Sindjus/RS.

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Troca de Usuário

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.