Em cerimônia que destacou apoio à cultura, Sintrajufe/RS fez a entrega dos prêmios dos concursos Literário e Fotográfico


21.Outubro.2019 - 19h23min

A premiação da 15ª edição dos concursos Fotográfico e Literário Mario Quintana do Sintrajufe/RS ocorreu na noite de sexta-feira, 18, no Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, em Porto Alegre. Na mesma noite, foi feita a entrega do 14ª Troféu Palavra Viva ao escritor gaúcho Alexandre Brito. Os nomes dos vencedores já haviam sido divulgados pelo Sintrajufe/RS, mas a classificação só foi conhecida durante a cerimônia. Neste ano, foram inscritos 520 textos e 64 fotografias. A cerimônia foi transmitida ao vivo pelo sindicato e foi acompanhada pela categoria e por pessoas de outros estados e do interior que se inscreveram nos concursos.

Em uma saudação aos presentes, o diretor do Sintrajufe/RS Paulo Oliveira fez referência às mudanças ocorridas no país no último ano, com a degradação do espaço público e da política. O dirigente afirmou que é importante “um evento cultural de arte no momento em que a arte está sendo tão atacada”. Paulo ressaltou que, além de resistir, é preciso ir além, tomar a frente, a fim de mudar o curso e evitar que o país seja imerso nas trevas.

Premiações

O Concurso Literário Mario Quintana é dividido em duas modalidades, Regional e Nacional. Os textos vencedores e os produzidos na oficina literária do Sintrajufe/RS integrarão o livro “Ponto Inicial”, que será lançado na Feira do Livro de Porto Alegre no dia 9 de novembro, às 17h30min.

Em Regional, categoria Conto, Guilherme Giugliani, de Porto Alegre; Danilo Giroldo, de Rio Grande; e Ednei Pedroso dos Santos, também da capital, foram, respectivamente, primeiro, segundo e terceiro colocados.

Em Crônica, Regional, as premiações foram as seguintes: Regina Célia Porto da Silva e Renato Soares de Lima, ambos de Porto Alegre, primeiro e segundo lugares; e Delmar Bertuol Alves da Silva, de Feliz, terceiro colocado. Na categoria Poesia: Demétrio de Azeredo Soster, de Santa Cruz do Sul, recebeu o troféu de primeiro lugar; Lucêmio Lopes da Anunciação, de Canela; e Maria do Carmo Manzke Rodriguez, de Porto Alegre, ficaram em segundo e terceiro, respectivamente.

Na modalidade Nacional, Conto, a classificação foi a seguinte: Viviane Ferreira Santiago, São Paulo (SP), primeira colocada; Airton Souza de Oliveira, Marabá (PA), segundo; e Maria Luiza Vargas Ramos, Florianópolis (SC), terceiro.

Os vencedores em Crônica, Nacional, foram Rui Trancoso de Abreu, Limeira (SP), primeiro lugar; Renata Jeane de Santana, Recife (PE); e Tatiana Alves Soares, Rio de Janeiro (RJ), segundo e terceiro lugares.

Na categoria Poesia, Nacional, o prêmio de primeira colocada ficou com Viviane Ferreira Santiago, São Paulo (SP). Flavio Rubens Machado de Queiroz, Cabo Frio (RJ); e Airton Souza de Oliveira, Marabá (PA), receberam troféus pelo segundo e pelo terceiro lugares. 

Neste ano, o tema do Concurso Fotográfico, que é dividido em Geral e Sintrajufe, foi “Crenças e religiosidade”. As fotos vencedoras serão publicadas no calendário 2020 do Sintrajufe/RS.

Na categoria Sintrajufe, a vencedora foi Christianne Barros, dependente de sindicalizado; em segundo lugar, Diego Eridson Beck, do TRF4; e, em terceiro, Maria Clara Lucena Adams, do TRT4, que recebeu também uma menção honrosa.

Na categoria Geral, o primeiro lugar ficou com José Adilson Rosa, de Porto Alegre, que ganhou também menção honrosa e prêmio do Júri Popular, pelo qual recebeu um curso de fotografia oferecido pela Escola Câmera Viajante. Em segundo e terceiro lugares, respectivamente, foram premiados Jorge Leão e Evandro Silveira Leal, também da capital. 

Emoção e incentivo

A emoção esteve presente em toda a premiação, com a surpresa pelo resultado e a comemoração das pessoas premiadas, muitas acompanhadas de familiares e amigos. O colega Diego Beck, segundo lugar em fotografia na categoria Sintrajufe, já participou de outras edições, mas foi premiado pela primeira vez. A fotografia, para ele, é uma paixão e, afirma, o concurso “dá um gás”, é um incentivo para continuar. Diego elogiou a iniciativa do sindicato e disse que promover atividades de incentivo à arte e à cultura e de lazer também é função da entidade. José Adilson Rosa estava emocionado com os três prêmios da noite na categoria Geral de fotografia. Ele fotografa desde 1982 e já participou de vários concursos, inclusive edições anteriores do certame do Sintrajufe/RS, mas foi a primeira vez que recebeu o primeiro lugar. José vem fotografando há quatro anos questões ligadas às religiões afro-brasileiras e, ao tomar conhecimento do tema do concurso deste ano, tinha bastante material. O problema, brinca, foi selecionar três entre 3 mil fotos. Ele classifica como “louvável” a iniciativa do Sintrajufe/RS, principalmente a abertura para a comunidade, pois constata que “existe muita carência de atividades desse tipo, de apoio às artes em geral”.

Algumas pessoas vieram de outros estados exclusivamente para a premiação. Foi o caso da pernambucana Renata Jeane de Santana, segundo lugar em Crônica, modalidade Nacional. Apaixonada por Erico Verissimo, ela veio ao Rio Grande do Sul pela primeira vez em 2015, a fim de refazer o percurso de obras do escritor por cidades do estado e Uruguai. Para ela, foi uma mais que feliz coincidência a premiação acontecer justamente em um centro cultural que leva o nome do autor gaúcho. Renata é bibliotecária na Universidade Federal de Campina Grande (PB) e elogiou o fato de um sindicato fazer atividades do porte dos concursos. Ela lembrou que todo incentivo à cultura é fundamental, principalmente em momentos de ataque como o atual, em que o primeiro a ser cortado é o orçamento da educação e da cultura. A professora aposentada Maria Luiza Vargas Ramos, natural de Alegrete, no RS, veio de Florianópolis (SC), onde mora, para receber seu prêmio de terceiro lugar na categoria Conto. Ela escreve desde a adolescência e já tem 16 livros publicados, sendo que o 17º será lançado na Feira do Livro de Porto Alegre neste ano. Para ela, “é uma maravilha o sindicato incentivar a arte, as letras”, pois entende que, além das lutas por direitos, é preciso “alimentar o espírito do povo”.

Homenagem a Alexandre Brito

Todo ano, na entrega do Troféu Palavra Viva, é feita uma homenagem especial ao autor ou autora homenageado. Nesta edição, o poeta Alexandre Brito foi brindado com parte do monólogo "Eu, pessoa e outros eus", interpretado pelo ator Jairo Klein, que recitou trechos de obras do poeta português Fernando Pessoa. O também poeta Ronald Augusto, que recebeu o Troféu em 2018, fez a entrega ao seu “mano” Alexandre, como denominou, de quem é parceiro na banca POETs, e leu um poema do próprio Brito, “praguejar o rei desnudo; é dever de ofício”, contra a barbárie e o fascismo.

Brito elogiou a iniciativa do sindicato e disse que era uma honra receber a premiação que já havia sido concedida a tantos “escritores importantes que me antecederam”. Ele também destacou a importância de o prêmio ser concedido pelo Sintrajufe/RS, ressaltando que o Judiciário e os trabalhadores e as trabalhadoras desse Poder “são vitais para este momento em que vivemos e para o futuro que a gente está precisando construir”.

Criado em 2006, o Troféu Palavra Viva é uma iniciativa do Sintrajufe/RS que destaca pessoas que incentivam a leitura no Rio Grande do Sul. Já foi recebido por Sérgio Napp, Marô Barbieri, Walmor Santos, Hermes Bernardi Jr., Valesca de Assis, Maria Carpi, Dilan Camargo, Cláudio Levitan, Celso Gutfreind, Ivo Bender, Christian David, Helô Bacichette e Ronald Augusto.

 
 
 
 

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Troca de Usuário

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.