Sintrajufe/RS atua em Brasília contra a aprovação da reforma da Previdência


06.Agosto.2019 - 17h50min

Caravana do RS com o deputado Túlio Gadelha (PDT-PE)

Nesta terça-feira, 6, o Sintrajufe/RS está novamente presente em Brasília, desta vez com uma caravana, atuando contra a aprovação da reforma da Previdência. Os diretores do sindicato Iria Edinger, João Jurinic e Rafael Scherer acompanham os trabalhos. Nesta semana, a Câmara dos Deputados deve votar, em segundo turno, o texto-base aprovado antes do recesso parlamentar. Desde março, o sindicato tem marcado presença no Congresso Nacional, em um trabalho de pressão sobre os deputados contra a proposta do governo de Jair Bolsonaro (PSL) que, se aprovada, significará um grande retrocesso e praticamente impedirá a aposentadoria de milhões de brasileiros. Por determinação do presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), foi proibido o acesso do público ao plenário na sessão.

Deputado Heitor Schuch (PSB-RS)

Nesta fase de votação em segundo turno, não podem mais ser apresentadas emendas aditivas. Os deputados podem, apenas, votar emendas supressivas, ou seja, retirar partes da proposta. Também votar a favor ou contra o texto aprovado no primeiro turno.

Pela manhã, os colegas do Rio Grande do Sul participaram de reunião da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência, presidida pelo senador Paulo Paim (PT-RS). Foi debatido como será realizado o trabalho parlamentar no segundo turno de votação na Câmara.

Reunião da Frente Parlamentar Mista

Senador Paulo Paim (PT-RS)

Foram feitos vários contatos com deputados, priorizando os gaúchos. Entre eles, foram contatados deputados que votaram a favor da reforma no primeiro turno. Em conversa com os representantes da categoria, Sanderson (PSL-RS) se comprometeu a votar algumas emendas supressivas para, pelo menos, minimizar os danos em da reforma em relação aos servidores públicos. Marcelo Moraes (PTB), ao ser interpelado pelos servidores, disse que votou a favor e vai votar de novo; mostrou-se um tanto exaltado ao afirmar: “vocês podem continuar colocando cartazes e outdoors onde vocês quiserem, porque assim vocês estão me promovendo”. Se fosse positivo, avaliou o diretor Rafael Scherer, ele não teria ficado irritado, o que mostra que a campanha de outdoors em que o Sintrajufe/RS denuncia quem votou contra os trabalhadores está surtindo efeito. Pedro Westphalen (PP) também falou sobre a campanha de outdoors; respondendo de forma ríspida ao contato com a caravana do RS quando foi cobrado pelo voto contra os trabalhadores: “isso é opinião de vocês e não minha”, disse, afastando-se rapidamente. Ao ouvir que o sindicato continuará denunciando, o deputado voltou e perguntou: “vocês estão me ameaçando?”. Afonso Hamm (PP) disse que deve votar novamente a favor da reforma. Eleito pela região de Bagé, ele informou que foi contatado por colegas do Judiciário Federal na cidade e que analisará algumas emendas supressivas.

 

Deputado Afonso Hamm (PP-RS) 

Os deputados Bohn Gass e Marcon, ambos do PT gaúcho, afirmaram que manterão o voto contrário à reforma. Marcon informou que não viu os outdoors, mas que recebeu fotos por WhatsApp. O parlamentar avaliou que dificilmente alguma das emendas supressivas será aprovada, porque precisaria de um tempo maior entre os dois turnos de votação para que houvesse um desgaste maior dos deputados que votaram a favor da reforma.

  

Deputado Marcon (PT-RS)

Deputado Bohn Gass (PT-RS)

Uma surpresa positiva foi o deputado Luiz Flávio Gomes (PSB-SP). Ele votou a favor da reforma em primeiro turno e garantiu que mudará o voto. Ele entende que o governo está tirando da classe média e dos pobres, mas que os ricos estão saindo ilesos, enquanto todos precisariam ser atingidos. O deputado também argumentou que o governo manteve privilégios para grandes empresas.

Deputado Luiz Flávio Gomes (PSB-SP) (esq.)

Na avaliação de Rafael Scherer, a batalha é difícil, e o governo tentará colocar a proposta em votação em segundo turno ainda nesta semana. Ele reforça que os trabalhadores precisam fazer a sua parte, “não só denunciando em outdoor vindo a Brasília falar pessoalmente com os parlamentares, mas, principalmente, por meio de mobilização. O dirigente reforça que a categoria tem que estar presente no ato público, dia 13 de agosto, em defesa da educação e da Previdência, uma data nacional de protestos. Em Porto Alegre, a atividade ocorrerá às 17h, na Esquina Democrática.

A diretora Iria Edinger ressalta, além dos obstáculos enfrentados na luta contra a reforma e das dificuldades para falar com os deputados, a proibição de acesso ao plenário: “o povo foi proibido de acessar a Casa”. O colega Rogério Quiroga, da Justiça do Trabalho de Porto Alegre, avalia que os contatos com os parlamentares e a reunião da Comissão foram bastante produtivos; ele acredita que, nesta terça-feira, haverá mais possibilidades de falar com outros deputados.

Sindicato participa de atividade de pressão no Aeroporto Salgado Filho

Nessa segunda-feira, 5, o Sintrajufe/RS participou, no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, de atividade de pressão sobre os deputados, na luta contra a reforma da Previdência. A ação ocorreu no saguão de embarque e contou com a presença de sindicatos de categorias do serviço público e da iniciativa privada e centrais sindicais. Foram distribuídos panfletos explicativos sobre os prejuízos que a aprovação da proposta representará. Várias pessoas que estavam embarcando pararam para apoiar a atividade e tirar fotos junto às faixas.

Veja mais fotos das atividades em Brasília:

Deputado Marcelo Moraes (PTB-RS) (esq.)

Deputado Pedro Westphalen (PP-RS)

Deputada Liziane Bayer (PSB-RS)

Deputado Sanderson (PSL-RS)

Deputado Patrus Ananias (PT-MG)

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Troca de Usuário

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.