Greve geral: dia de lutas começa com muita mobilização e repressão em Porto Alegre; Sintrajufe/RS esteve nas atividades da manhã e segue com manifestações à tarde


14.Junho.2019 - 11h23min

O dia de greve geral começou com muita luta em todo o Brasil. Mobilizados para derrotar a reforma da Previdência do governo de Jair Bolsonaro (PSL), os trabalhadores paralisaram os trabalhos e os transportes em todos os estados do país. Em Porto Alegre, houve muita mobilização na parte da manhã, mas também muita repressão policial. O Sintrajufe/RS participou das atividades da parte da manhã e, à tarde, organiza atos nas varas trabalhistas, às 13h, e na Justiça Federal, às 15h. Às 17h, os trabalhadores do Judiciário Federal e do Ministério Público da União no Rio Grande do Sul devem juntar-se ao ato unificado marcado para a Esquina Democrática.

Desde a madrugada, foram feitos piquetes nas saídas das garagens de ônibus em Porto Alegre. Embora os trabalhadores estivessem dispostos à greve, o sindicato da categoria não apoiou a paralisação, de forma que os trancaços foram necessários para garantir o direito dos motoristas e cobradores a participar da greve. Diretores do Sintrajufe/RS participaram dos bloqueios, que tiveram como resposta dos governos muita repressão: bombas de gás, tiros de bala de borracha e jatos d'água foram o caminho escolhido pelos governantes e pelos empresários do transporte para defender a extinção da Previdência pública. Também foram realizados bloqueios nos trilhos do trem, igualmente reprimidos. Por volta das 7h e das 8h, respectivamente, ônibus e trens voltaram a operar parcialmente na capital. Muitos manifestantes ficaram feridos e mais de 50 foram presos. A capital gaúcha teve, na manhã desta sexta (o que deve seguir pela tarde) grande quantidade de escolas, faculdades e postos de saúde também fechados.

Mesmo assim, a mobilização não parou. Diversas manifestações descentralizadas ocuparam as ruas da cidade na parte da manhã. São mais de 50 categorias de trabalhadores em greve e mobilizadas em Porto Alegre. No interior do estado, também houve bloqueios em garagens de ônibus em mais de dez cidades, além de trancaços em pelo menos 15 pontos de estradas estaduais e federais no Rio Grande do Sul. Em todo o Brasil, nas capitais e no interior, há, desde o início do dia, bloqueios e atos públicos contra a reforma da Previdência, inclusive com a paralisação do transporte em diversas capitais.

Tarde terá atos nas varas trabalhistas, na Justiça Federal e na Esquina Democrática

Durante todo o dia, as categorias em greve realizam atividades próprias em Porto Alegre. Os trabalhadores do Judiciário Federal e do Ministério Público da União no Rio Grande do Sul estão convocados pelo Sintrajufe/RS para duas atividades da categoria ao longo da tarde: um ato público nas varas trabalhistas, a partir das 13h, e outro na Justiça Federal, às 15h. Depois, às 17h, o sindicato e a categoria participam do grande ato unificado, que acontece na Esquina Democrática.

Foto: Lucas Leffa / Mídia Ninja.

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.