Sintrajufe/RS em Brasília: deputados ressaltam importância da mobilização nas ruas contra a reforma da Previdência


23.Maio.2019 - 18h16min

Nesta quinta-feira, 23, o diretor do Sintrajufe/RS Rodrigo Mércio deu continuidade ao trabalho em Brasília contra a proposta de emenda à Constituição (PEC) 6/2019. O dirigente acompanhou a movimentação na comissão especial da reforma da Previdência e conversou com deputados.

Na comissão, os trabalhos ordinários ocorreram pela manhã. Foram aprovados requerimentos para a realização de duas audiências públicas: para debater a desconstitucionalização dos direitos previdenciários e regras de transição; e com o tema mulheres. Na parte da tarde, foi realizada mais uma audiência pública.

Rodrigo conversou com deputados federais que destacaram o impacto das mobilizações do dia 15 e a necessidade de que o dia 30 seja um grande “esquenta” para a greve geral de 14 de junho. Samia Bomfim (Psol-SP), afirmou que "o governo está bastante enfraquecido, haja vista que nem mesmo sua base aliada tem condição de defendê-lo”. Por isso, ressaltou, redobra a responsabilidade “de construir uma grande mobilização, seja agora no dia 30, e também na greve geral, dia 14 de junho, para mostrar para o governo que se ele não tem condição de administrar o país, o povo organizado tem”. Samia avaliou que o governo está com dificuldades, não tem votos para aprovar a reforma da Previdência, “mas a gente não pode deixar nas mãos deles, das negociações escusas e espúrias a possibilidade de conseguir essa maioria. A gente vai derrotá-los é na rua”.

O deputado Jorge Solla (PT-BA), membro da comissão especial de reforma da Previdência, concordou que é “essencial o processo de mobilização e de luta dos trabalhadores”. Para ele, a mudança de voto daqueles que ainda estão com receio de votar contra a reforma dependerá das “vantagens” oferecidas pelo governo e das mobilizações de rua: “vamos às ruas, vamos à luta, vamos derrotar essa proposta". A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) afirmou que “15 de maio já teve um grande impacto, o 30 de maio precisa ser maior”. Para ela, este é um “momento importante não só para a democracia, mas para a manutenção de direitos”.

Confira o calendário de mobilização:

30 de maio: caravana a Brasília para julgamento recurso extraordinário (RE) 638.115, que trata dos quintos, no STF

30 de maio, 18h, na Esquina Democrática, em Porto Alegre: ato público unificado, em defesa da educação e do direito à aposentadoria

13 de junho: caravana a Brasília para acompanhar o julgamento, no STF, do recurso extraordinário (RE) 565.089, que trata de indenização por falta de data-base.

14 de junho: greve geral

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.