Diretor do Sintrajufe/RS participa de programa na TV Band sobre censura de dados na reforma da Previdência


07.Maio.2019 - 18h57min

No sábado, 4, pela manhã, foi ao ar, na TV Bandeirantes, o programa Boca no Trombone, com participação do diretor do Sintrajufe/RS Rafael Scherer. O programa debateu a censura de dados sobre a reforma da Previdência por parte do governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Rafael foi categórico ao afirmar que “o governo está tentando enganar o povo com essa censura”, que, no entendimento do Sintrajufe/RS, é inconstitucional, pois fere o princípio da publicidade e da transparência. Apenas depois de aprovada a proposta (PEC) 6/2019 na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, o governo divulgou parte dos estudos que embasam a reforma da Previdência, e ficou evidente que os mais pobres serão os mais atingidos. O dirigente destacou que, da “economia” de mais de 1 trilhão e 200 bilhões de reais anunciada pelo governo, mais de 800 bilhões sairão do Regime Geral, 170 bilhões do abono salarial e outra parte até mesmo do Benefício de Proteção Continuada (BPC), que atende idosos e pessoas com deficiência em situação de miséria. Além disso, o governo que estabelecer um critério de patrimônio para que as pessoas possam receber esse benefício, em valor não superior a R$ 98 mil: “então, se a pessoa tem onde morar, não vai ter o que comer, e o governo ainda tem a cara de pau de dizer que está retirando privilégios”, disse Rafael.

“O governo esconde tanto os dados porque a reforma é ruim; o governo teve que oferecer R$ 40 milhões em emendas para cada deputado votar para votar favor da reforma”, ressaltou Rafael. De acordo com o dirigente, “não se trata de reforma, mas da destruição da Previdência pública no Brasil”, com o estabelecimento de um regime de capitalização no qual o Estado lava as mãos, empregadores não são mais obrigados a contribuir, “e o trabalhador que se vire com uma poupança forçada que ele vai ser obrigado a fazer ao longo da vida”. No entanto, considerando que a maioria dos trabalhadores no Brasil recebe até dois salários mínimos, “como conseguirão capitalizar para ter uma aposentadoria digna amanhã ou depois?”, questionou.

Rafael afirmou que a reforma só favorece os bancos e lembrou que quem já é aposentado será atingido, porque a reforma tira a obrigatoriedade de reajuste da aposentadoria. Até mesmo o pequeno empresário sairá perdendo, pois, com a retirada de mais de R$ 1 trilhão da economia, “pra quem o pequeno empresário vai vender?”. A reforma de Bolsonaro “é cruel, e o caminho é ir para a rua derrotar a proposta”, afirmou Rafael. O diretor destacou que, em 1º de maio, Dia do Trabalhador, no Brasil todo houve manifestações, principalmente em defesa da Previdência, e que é preciso aumentar a mobilização. Por isso, ressaltou a importância da greve geral, convocada para o dia 14 de junho, “para botar pra correr essa turma que está querendo roubar nossa aposentadoria, que é um patrimônio do povo brasileiro”.

A participação do Sintrajufe/RS, fruto de parceria entre o programa e o sindicato, atende à necessidade de levar a voz dos servidores públicos também para fora da categoria, dialogando com o conjunto da sociedade sobre a importância do serviço público e de seus servidores.

Assista à íntegra do programa AQUI.

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.