10º Congrejufe: após denúncia de colega do Rio Grande do Sul, delegados expulsam servidor que ostentava camiseta supremacista


29.Abril.2019 - 22h53min
-->

Logo no início dos trabalhos da tarde do 10º Congresso da Fenajufe (Congrejufe), nesta segunda-feira, 29, uma atitude da colega Elaine Lídia, diretora de base da Justiça do Trabalho de Canoas e integrante do coletivo Luta Fenajufe, fez com que um delegado que vestia uma camiseta com um símbolo dos supremacistas brancos fosse expulso do Congresso. Por grande maioria, o plenário decidiu pela expulsão e por outras penalizações ao servidor, do Distrito Federal.

"Fora racista!"

O servidor ostentava, desde a parte da manhã, uma camiseta amarela com o símbolo da "bandeira de Gadsden", representação utilizada por supremacistas brancos que pregam o assassinato de negros e negras, ficando conhecida por sua utilização nos Estados Unidos pela Ku Klux Klan. Antes, esse símbolo fora usado para representar as 13 colônicas estadunidenses e a resistência contra o Império Britânico. Mas foi apropriada pela KKK, depois pelo Tea Party e, atualmente, é utilizada por supremacistas brancos, principalmente em conjunto com a suástica nazista. Em 2014, um casal de supremacistas brancos dos Estados Unidos assassinou a tiros um policial negro e alvejou outro, estendendo sobre o corpo do assassinado uma suástica e uma bandeira de Gadsden. O servidor que vestia a camiseta trata-se do mesmo delegado durante o discurso do qual os maiores grupos políticos presentes ao Congrejufe haviam ficado de costas, em protesto, no domingo.

No retorno das atividades, Elaine levantou à mesa uma questão de ordem exigindo um posicionamento efetivo da Fenajufe contra a ação racista do servidor. Imediatamente houve um grande tumulto no plenário, com o próprio delegado identificando rapidamente que se tratava de referência a ele e logo sendo rodeado por diversos colegas que exigiam sua saída. Aos gritos de "fora racista!" ele foi retirado do plenário.

Elaine, então, assumiu novamente o microfone e chamou todos os delegados negros à frente, para uma manifestação coletiva. Ela e o colega Wilson Silva, de Brasília, fizeram falas duras e incisivas condenando o absurdo representado pela presença e pela provação racista em pleno Congresso da maior instância nacional da categoria. Durante as falas, estiveram ladeados por cerca de 20 delegados negros, além de colegas brancos que se colocaram logo ao lado e atrás.

Em votação, o plenário decidiu, por ampla maioria, pela expulsão do servidor do Congrejufe, ressarcimento à Fenajufe de todas as despesas com hospedagem e deslocamento, além de responsabilização nas esferas cível, criminal e administrativa. Na manhã de terça-feira, será registrado boletim de ocorrência.

"É preciso ser antirracista"

Elaine Lídia comenta a situação: "Para além da manifestação de expressão, existe o conteúdo que se está veiculando através da imagem. Uma imagem que a gente sabe que é ligada ao movimento supremacista, que caça os negros, que mata pessoas... felizmente foi adotada uma medida efetiva com a expulsão e o compromentimento da federação de tomar as medidas cabíveis nas esferas cível, criminal e administrativa. Nós vamos continuar cobrando os resultados disso, porque é incompatível com tudo o que nós defendemos, com tudo o que o movimento de trabalhadores, o movimento sindical, defende. Pra além disso, somos servidores públicos e servimos à população, somos uma das faces do Estado e não podemos nos associar a esse tipo de coisa".

A colega espera "que seja bem emblemático isso, que fique bem demarcado que não vamos tolerar esse tipo de manifestação. É atentatório contra a existência de um grupo de seres humanos. A postura da federação foi o que se esperava, era o mínimo que se podia fazer diante disso. Não adianta falarmos de adotar políticas inclusivas, falar em justiça e igualdade e todas essas expressões bonitas que as pessoas utilizaram em suas falas aqui e deixar passar uma coisa como essa. Não basta não ser racista, temos que ser antirracistas".

O Sintrajufe/RS se mantém ao lado daqueles que acreditam que o racismo deve ser eliminado da sociedade e combatido de frente em todos os espaços públicos, sobretudo quando ocorre em espaços sindicais da categoria. Com profundo sentimento de revolta, a direção do Sintrajufe/RS repudia o ato racista do servidor da base do Distrito Federal no plenario do 10º Congrejufe, saúda a decisão soberana do plenário do Congresso que expulsou o referido servidor e manifesta o apoio irrestrito à colega Elaine e a todos os negros e negras da delegação gaúcha e de todo o país, mantendo sua convicção na luta antirracista. Racistas não passarão!

Fotos: Alexandre Haubrich / Sintrajufe/RS.

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Troca de Usuário

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.