Mudou de posição? Relator da reforma da Previdência na CCJ era contra a reforma em 2017


02.Abril.2019 - 18h15min

Em 2017, o governo de Michel Temer (MDB) tentou empurrar para os trabalhadores uma reforma da Previdência que acabou derrotada pela força das ruas. Na ocasião, um dos deputados que fez contundentes críticas à proposta e aos argumentos do governo foi Marcelo Freitas (PSL-MG). Hoje, esse mesmo deputado é o relator da proposta de Jair Bolsonaro (PSL) na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). A apresentação do relatório de Freitas está prevista para o próximo dia 9 de abril, e o governo pretende votar a proposta na CCJ já no dia 17.

Em fevereiro de 2018, Marcelo Freitas publicou em sua página no Facebook o artigo "A Reforma da Previdência e a Vida de Inocentes", no qual critica o governo por "satanizar" os servidores públicos apresentando-os como "privilegiados". Conforme o hoje relator da reforma na CCJ, a estratégia para a reforma era clara: "Manipula-se preconceitos difusos para se criar um 'inimigo externo' ao tempo em que se busca demonizar os servidores públicos estáveis e independentes, estruturados pela Constituição de 1988". O deputado ainda escreveu que, com a reforma, "o que se busca, claramente, é manter o sistema político corrompido".

Sobre o "déficit" alegado primeiro por Temer e agora por Bolsonaro como pretexto para a reforma, Marcelo Freitas foi taxativo no mesmo artigo: "O problema do suposto déficit da previdência social no Brasil, por exemplo, não está no envelhecimento da população, mas sim na ineficiência dos governantes que administram o sistema e no desvio das importâncias para outras finalidades, completamente alheias à seguridade social". Ainda sobre o déficit, reportagem do jornal O Globo apurou que, em março de 2017, o deputado compartilhou em sua página no Facebook um vídeo elaborado por um sindicato de auditores fiscais que diz que não existe déficit na Previdência. “Chega de bravatas!”, escreveu ele na ocasião.

No artigo de fevereiro de 2018, Marcelo Freitas deixou clara sua posição contrária à proposta de Temer: "Não posso concordar com uma reforma que é paga única e exclusivamente pelos trabalhadores, sem qualquer enfrentamento às terríveis renúncias fiscais, por exemplo".

Cabe lembrar que a proposta apresentada pelo novo governo é ainda pior do que a do governo anterior, ampliando os problemas corretamente apontados pelo deputado anteriormente.

Veja abaixo os contatos do deputado Marcelo Freitas e envie mensagens contra a reforma da Previdência:

E-mail: dep.delegadomarcelofreitas@camara.leg.br

Telefone do gabinete em Brasília: (61) 3215-5548

Página no Facebook: www.facebook.com/delegadomarcelofreitas

Perfil no Twitter: www.twitter.com/DelegadoFreitas

Perfil no Instagram: www.instagram.com/delegadomarcelofreitas

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.