Entre 2 e 4 de abril, TRT4 recebe atividades da Semana Internacional do Autismo


29.Março.2019 - 17h19min

A Justiça do Trabalho gaúcha realizará diversas atividades entre os dias 2 e 4 de abril, em alusão à Semana Internacional do Autismo. O Dia Mundial de Conscientização do Autismo é celebrado em 2 de abril.

 

Os eventos serão abertos ao público em geral e incluirão palestras, debates e uma exposição fotográfica. As atividades serão realizadas em parceria com o Comitê Gestor de Equidade de Gênero, Raça e Diversidade e a Comissão de Cultura do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS). Confira abaixo o cronograma dos eventos, que ocorrerão no saguão do prédio-sede do TRT4 (Av. Praia de Belas, nº 1.100) e no Auditório da Escola Judicial (avenida Praia de Belas, nº 1.432, Prédio 3):

 

2 de abril, terça-feira (Saguão do Prédio-Sede do TRT-RS)

 

15h: Abertura da exposição fotográfica “Um Novo Olhar Sobre o Autismo: Diferente é o Mundo que Queremos!”, com a presidente do TRT-RS, desembargadora Vania Cunha Mattos, e a juíza coordenadora do Comitê Gestor de Equidade de Gênero, Raça e Diversidade, Raquel Nenê Santos. A mostra ficará em cartaz até 12 de abril.

16h30: Palestra “A Solidão das Mães Especiais e a Necessidade de Falar sobre Inclusão”, da publicitária Laura Patron, criadora da campanha “Avante Leãozinho”.

17h30: Coquetel

18h: Apresentação do espetáculo infantil “Quem não Dança, Balança a Criança”, do grupo “Cuidado que Mancha”.

19h: Ato de iluminação da fachada do Prédio-Sede do TRT-RS com a cor azul, símbolo da campanha.

 

3 de abril, quarta-feira (Auditório da Escola Judicial do TRT-RS)

 

9h: Palestra “O Autismo sob a Visão da Medicina Integrativa”, da médica e nutróloga Simone Pires.

10h: Coffee Break

10h30: Palestra “Visão Geral do TEA - Regulação Emocional e Desafios Comportamentais”, com a psicopedagoga Cláudia Zirbes.

12h: Encerramento

14h: Palestra “Linguagem, Desenvolvimento e Comunicação Alternativa no Autismo”, com a pesquisadora e professora Renata Costa de Sá Bonotto.

15h: Coffee Break

15h30: Palestra “Abordagem Familiar: Atividades de Vida Diária e a importância da atividade física no TEA”, com o professor Fernando Benedetti.

17h: Encerramento

 

4 de abril, quinta-feira (Auditório da Escola Judicial)

 

9h: Palestra “Direitos Humanos e Políticas Públicas para Pessoas com Autismo: a Realidade no Rio Grande do Sul: Autistas e Inserção no Mercado de Trabalho”, com a auditora fiscal Ana Maria Machado da Costa e representantes das entidades que compõem a Rede Gaúcha Pró-Autismo.

10h: Coffee Break

10h30: Palestra “Direitos dos Autistas e Lei 12.764/12: Garantindo Direitos e Dignidade aos Autistas”, com pesquisadora e professora Renata Costa de Sá Bonotto.

12h: Encerramento

14h: Palestra “Atuação da Equipe Multidisciplinar e Programas Individualizados – Inclusão Escolar: Limites e Possibilidades”, da pedagoga Micheli Weirich dos Santos.

15h30: Exibição de vídeo com a palestra “Atualidades na Pesquisa Neurocientífica sobre Autismo”, do biólogo, geneticista e professor da Faculdade de Medicina da University of California, Los Angeles (UCLA), Alysson Renato Muotry.

16h: Coffee Break

16h30: Debate “Vivências das Famílias com Autistas”, mediado pelo Comitê de Equidade do TRT-RS e por representantes do Instituto Autismo e Vida.

18h: Encerramento.

 

Autismo

 

Conforme definição da Associação Americana de Autismo, trata-se de um transtorno de desenvolvimento que afeta gravemente os indivíduos durante toda a vida. É um distúrbio neurológico que se manifesta em diversas dimensões da vida, principalmente na dificuldade em interações sociais e na comunicação. Apresenta-se, na maioria dos casos, antes dos três anos de idade.

 

O autismo manifesta-se sob uma gama de sintomas bastante variada, sem que haja padrão de repetição das características de um indivíduo para outro. Por causa dessa variabilidade de sintomas, que vão desde a incapacidade total de comunicação e de interação com outras pessoas até limitações mais leves, que permitem uma vida funcional e produtiva, utiliza-se a figura do espectro, para abarcar todas as intensidades dos sintomas, que podem ou não aparecer em cada indivíduo.

 

Não há tratamento ou cura para a situação neurológica que causa o autismo. Crianças e adultos autistas necessitarão de atendimentos diferenciados e multidisciplinares, com graus diferentes de aplicação no que se refere a educação, a melhoria dos comportamentos e à saúde. Remédios e mudanças de estilo de vida podem ser utilizados para alívio de transtornos associados ao autismo, como ansiedade ou depressão.

 

Editado por Sintrajufe/RS; fonte: Secom/TRT4.

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.