Mobilização em defesa da Justiça do Trabalho teve atos espalhados pelo Brasil nessa segunda-feira


22.Janeiro.2019 - 18h00min

A última segunda-feira, 21, foi dia de mobilização nacional em defesa da Justiça do Trabalho e do Ministério Público do Trabalho. As declarações do presidente Jair Bolsonaro (PSL) favoráveis à extinção das instituições, bem como a tramitação de projetos que pretendem aprofundar a reforma trabalhista, fizeram com que servidores, advogados e juízes saíssem às ruas em diversas partes do Brasil, contando com apoio da população na defesa dos direitos dos trabalhadores. Foram realizadas mobilizações em todo o país. Confira como foi:

Porto Alegre

Em Porto Alegre, juntamente com outras entidades que compõem o Fórum de Relações Institucionais do TRT4, o Sintrajufe/RS convocou ato para as varas trabalhistas e obteve grande apoio de diversas categorias e entidades, que enviaram representantes e construíram um ato com centenas de pessoas durante a tarde. O ato público teve falas de mais de 20 entidades judiciárias e sindicais, demonstrando a unidade que será necessária no próximo período para defender as instituições e os direitos trabalhistas.

Nas manifestações, foi consenso a união de todos para barrar retrocessos sociais do governo Bolsonaro e em defesa do papel crucial da JT e do MPT para os trabalhadores brasileiros. Neste momento em que ambas as entidades estão sendo tratadas como “vilãs” sob falsos argumentos, sobretudo econômicos, é preciso que todos se mantenham unidos para defender o Estado Democrático de Direito e lutar contra o desmantelamento do Estado. Foi ressaltado que a JT foi criada em 1941 para resolver conflitos entre capital e trabalho e, atualmente, também recolhe contribuições previdenciárias e garante a dignidade do trabalho humano, junto ao MPT e seu papel fiscalizador, em um país que ainda apresenta milhares de casos de trabalho escravo. O movimento em defesa da JT e do MPT ganha cada vez mais força à medida que a população toma conhecimento da importância dessas entidades, destacaram os presentes. Nesse sentido, a Justiça do Trabalho, que não existe apenas no Brasil como também em diversos países desenvolvidos, é o último recurso que o trabalhador tem de garantir seus direitos, pontuaram.

São Paulo

Em São Paulo, ato encabeçado pelo Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal no Estado de São Paulo (Sintrajud/SP) contou com cerca de três mil servidores, advogados e magistrados, segundo os organizadores. Os manifestantes ocuparam a Avenida Marquês de São Vicente, em frente ao Fórum Trabalhista Ruy Barbosa. Mais de 30 entidades participaram da mobilização, parte do recém-criado Movimento Em Defesa da Justiça do Trabalho. O estado de São Paulo também teve mobilização na cidade de Santos.

Salvador

Em frente ao Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região, em Salvador, também houve mobilização na segunda-feira. Representantes dos advogados, magistrados, procuradores, entidades de servidores municipais, estaduais e federais, centrais sindicais, usuários da Justiça do Trabalho e sociedade civil em geral se uniram em defesa da JT e do MPT. A atividade fora convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal da Bahia (Sindjufe/BA) e por outras entidades.

Rio de Janeiro

Em frente ao TRT Lavradio, um dos prédios do tribunal no Rio de Janeiro, servidores do Judiciário Federal, magistrados, advogados, procuradores e outros trabalhadores estiveram unidos em defesa da Justiça do Trabalho, em ato público que teve o Sindicato dos Servidores do Judiciário Federal (Sisejufe/RJ) como um dos organizadores. Durante duas horas, representantes de diversas entidades se revezaram ao microfone para esclarecer a população sobre a importância e função da Justiça do Trabalho, diante da ameaça de extinção do órgão

João Pessoa

No estado da Paraíba, a mobilização em defesa da Justiça do Trabalho ocorreu no auditório do Pleno do TRT13. O ato foi convocado pelo Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal no Estado da Paraíba (Sindjuf/PB) e por outras organizações do Judiciário e teve adesão de diversas entidades judiciárias e de outros sindicatos locais.

Brasília

Com faixas em defesa da Justiça do Trabalho, servidores, juízes, procuradores, advogados e representantes de diversas associações realizaram ato público em Brasília. Com participação do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário e do Ministério Público da União no Distrito Federal (Sindjus/DF), a mobilização ocorreu no prédio da Justiça do Trabalho na capital do país.

Natal

O Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal no Rio Grande do Norte (Sintrajurn/RN), juntamente com outras entidades da magistratura e da advocacia, realizou, no auditório da OAB, audiência pública sobre a importância da Justiça do Trabalho. A audiência reuniu autoridades, políticos, advogados, sindicalistas e lotou o auditório.

Maceió

Em Maceió, o Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal em Alagoas (Sindjus/AL) realizou ato público em frente às varas trabalhistas da capital de Alagoas. A atividade, que aconteceu na parte da manhã, reuniu dezenas de servidores e representantes de outras entidades.

Manaus

O Sindicato dos Servidores da Justiça do Trabalho no Amazonas e Roraima (Sitra-AM/RR) foi uma das entidades que organizou ato realizado em defesa da Justiça do Trabalho em Manaus. A atividade no hall do Fórum Trabalhista da cidade e reuniu dezenas de pessoas, incluindo representantes de advogados e juízes, além de servidores do Judiciário Federal.

Fortaleza

Dezenas de trabalhadores e representantes de entidades reuniram-se Fórum Autran Nunes, em Fortaleza, na manhã de segunda-feira, para manifestar-se em defesa da Justiça do Trabalho. Representantes de servidores, juízes, advogados e centrais sindicais estiveram presentes. O ato teve como um dos organizadores o Sindicato dos Servidores da Sétima Região da Justiça do Trabalho (Sindissétima/CE).

Campo Grande

Em Campo Grande também aconteceu nesta segunda, 21, o ato em defesa da Justiça do Trabalho e contra ameaças de sua extinção e transferência de atribuições para outros órgãos, a exemplo do que aconteceu com o Ministério do Trabalho. Com a presença de advogados, juízes, procuradores e servidores do Judiciário do Trabalho, bem como de representantes de diversas categorias de trabalhadores, a mobilização ocorreu no saguão do Forum Ramez Tebet. O Sindicato dos Servidores do Poder Judiciario Federal e Ministério Público da União em Mato Grosso do Sul (Sindjufe/MS) foi um dos organizadores da atividade.

Cuiabá

Na capital do Mato Grosso, foi realizado um ato conjunto em defesa da Justiça do Trabalho, reunindo servidores, juízes e advogados no saguão das varas trabalhistas do TRT23. Entre os participantes estiveram representantes do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal do Estado de Mato Grosso (Sindijufe/MT).

Belém

Em Belém, o ato público em defesa da Justiça do Trabalho foi convocado pela Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 8ª Região (Amatra8) e teve apoio do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal dos Estados do Pará e Amapá (Sindjuf/PA-AP). A atividade foi realizada em frente ao TRT8 e reuniu ainda representantes de centrais sindicais.

Recife

No Recife, o ato em defesa da Justiça do Trabalho ocorreu em frente ao Fórum Trabalhista, Fórum Advogado José Barbosa de Araújo, e contou com dezenas de servidores, juízes e advogados. O Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal de Pernambuco (Sintrajuf-PE) participou da organização do ato.

Teresina

Em parceria com diversas entidades representativas de segmentos do Judiciário Federal, o Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal do Piauí (Sintrajufe/PI) realizou ato público em frente ao TRT22, em Teresina. Durante o Ato, os manifestantes pontuaram a importância da Justiça do Trabalho, visto que historicamente vem cumprindo o papel de resguardar os direitos sociais. E ainda, foi destacada a necessidade de fazer resistência frente à enxurrada de ameaças anunciadas pelo governo aos trabalhadores. O Ato contou com a participação de mais de 20 entidades.

Curitiba

Na capital paranaense, o Sindicato dos Servidores da Justiça do Trabalho do Paraná participou de um grande ato no Fórum Trabalhista de Curitiba. Diversas entidades e centenas de pessoas participaram da atividade, que lotou os corredores do prédio.

Vitória

Com carros de som, faixas, camisas e bandeiras em defesa da Justiça do Trabalho, manifestantes foram para as ruas da capital do Espírito Santo, no ato convocado pelo Movimento em Defesa da JT, do qual participa o Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal no Estado do Espírito Santo (Sinpojufes/ES). Integrantes de diversas entidades caminharam sede administrativa da Justiça do Trabalho até o Fórum Trabalhista da cidade. 

Goiânia

Em Goiânia, o ato foi organizado pelo Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal do Estado de Goiás (Sinjufego/GO) em conjunto com advogados trabalhistas. A manifestação ocorreu no tureno da manhã, no Foro Trabalhista da cidade. Magistrados, entidades judiciárias e centrais sindicais também estavam presentes em defesa da JT. 

São Luis

Na capital do Maranhão, as atividades do Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal e MPU no Maranhão estão previstas para os próximos dias. Devem ocorrer panfletagem, debates com demais entidades e um grande ato conjunto no dia 30.

Florianópolis

Em Santa Catarina, o  “Ato Público em Defesa da Justiça do Trabalho e dos Direitos Sociais”, ocorreu no TRT12, em Florianópolis, e também nas cidades de Chapecó, de Xanxerê, de Blumenau e de Itajaí no início da tarde dessa segunda-feira. Os atos foram convocados em conjunto por diversas entidades, entre elas o Sindicato dos Trabalhadores no Poder Judiciário Federal no Estado de Santa Catarina (Sintrajusc/SC), demonstrando a unidade de todos pela pauta. 

Belo Horizonte

Em ato convocado por várias entidades, como Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal no Estado de Minas Gerais, OAB e centrais sindicais, centenas de servidores, magistrados, advogados e diversos trabalhadores se reuniram em Belo Horizonte contra a extinção da JT e contra a reforma da Previdência. O Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal em Minas Gerais (Sitraemg/MG) foi um dos organizadores da atividade. Atos semelhantes foram realizados em outras cidades mineiras, como Contagem, Juiz de Fora, Uberlândia. 

Palmas

Em Palmas, a manifestação foi organizada pela Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (Abrat) e contou com diversas entidades que se reuniram em frente ao Foro Trabalhista, incluindo o Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal no Tocantins (Sindjufe/TO). O Ato em Defesa dos Direitos Sociais e da Justiça do Trabalho foi encerrado e contou com o apoio de movimentos sociais e sindicais, presidentes e representantes de instituições similares.

Aracaju

Na capital do Sergipe, o Ato em Defesa dos Direitos Sociais e da Justiça do Trabalho foi organizado pelo Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal de Sergipe (Sindjuf/SE), pelo TRT local e por diversas entidades. Os manifestantes se reuniram no hall do Fórum Trabalhista e protestaram contra a extinção da JT, contra o ofício do presidente do TST e contra a PEC 300.

Dia 15 de fevereiro tem ato conjunto na capital federal

Em meio a ataques contínuos do governo Bolsonaro a direitos dos trabalhadores, a mobilização precisa seguir. Por isso, a próxima mobilização em defesa da Justiça do Trabalho, do Ministério Público do Trabalho e dos direitos trabalhistas já está marcada: será no dia 5 de fevereiro, com um ato nacional em Brasília.

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.