Relator da reforma da Previdência, Arthur Maia, admite que tramitação pode atrasar ainda mais por falta de votos


06.Fevereiro.2018 - 17h14min

O deputado Arthur Maia (PPS-BA), relator da reforma da Previdência na Câmara, concedeu uma entrevista coletiva nessa segunda-feira, 5, na qual deixou em aberto a possibilidade de mais atrasos na tramitação da reforma que pode acabar com o direito à aposentadoria de milhões de brasileiros. Enquanto há poucos dias o governo falava em votar a reforma em 19 de fevereiro, agora Arthur Maia diz acreditar que a proposta será colocada em pauta neste dia, mas deverá ir à votação apenas na semana seguinte, a última de fevereiro.  

Maia informou que está negociando com as lideranças dos partidos maneiras de mexer na proposta para obter os votos necessários à aprovação. Porém, deixou claro que há mudanças inegociáveis, especialmente as que afetam os servidores públicos. Para o deputado, os servidores têm "privilégios que precisam ser extintos". Por outro lado, o relator afirmou que as formas de transição são negociáveis, assim como diversos outros pontos da reforma, desde que isso tenha como consequência o aumento dos votos. Por isso, nesta semana está conversando com líderes partidários para avaliar o que é possível negociar. "Temos que aprovar uma reforma que caiba dentro da condição política que o Congresso tem nesse momento", afirmou.  

Arthur Maia revelou ainda cálculo do ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Marun, segundo o qual o governo já teria 275 votos. Porém, destacou: "Nós temos dois problemas: falta de voto e falta de tempo”. Assim, as consultas que estão sendo feitas às lideranças podem atrasar ainda mais a tramitação, embora, de acordo com o relator, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), está decidido a colocar a reforma em pauta no dia 19: "Colocar em pauta é diferente de votar", destacou o relator.  

Sintrajufe/RS segue atuando em Brasília na luta contra a reforma

Desde o final de semana, o Sintrajufe/RS está em Brasília. Sábado e domingo, dirigentes participaram de reunião do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) e do Fórum Nacional Permanente das Carreiras Típicas de Estado (Fonacate). Na segunda e na terça-feira, os representantes do sindicato participaram de atividades de mobilização no aeroporto de Brasília, “recepcionando” os parlamentares que estavam chegando na cidade para os trabalhos no Congresso Nacional.

Nesta terça-feira, 6, foi aberto oficialmente o ano legislativo, e o diretor do Sintrajufe/RS e da Fenajufe Cristiano Moreira esteve na Câmara dos Deputados. Acompanhado das dirigentes do Sintrajud/SP Claudia Vilapiano e Lynira Sardinha e do diretor do Simpe/RS, Beto Ledur, Cristiano acompanhou as movimentações na Casa. Em sua avaliação, "se conseguimos impedir a votação até agora, é fato que podemos vencer e derrotar o confisco de nossa aposentadoria. Mas não podemos dar o jogo por jogado e baixar a guarda. A pressão de Temer sobre Congresso vai aumentar muito ainda. Portanto, a disputa está aberta e vai exigir muita mobilização de nossa parte. Dia 19, temos o desafio e responsabilidade de construir um dia de luta de amplitude nacional que possa, novamente, mostrar que trabalhadores não aceitarão que os corruptos roubem nossa aposentadoria! Façamos nossa parte!".

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.