Reportagem aponta que faculdade de Gilmar Mendes recebeu descontos milionários do banco Bradesco


06.Outubro.2017 - 17h27min

O site Buzzfeed publicou, na última semana, uma reportagem que mostra no mínimo problemas éticos envolvendo o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes em sua relação com o banco Bradesco. Partícipe de pelo menos 120 decisões tomadas por Mendes em relação, o banco concedeu empréstimos de ao menos R$ 36 milhões ao Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), faculdade que tem o ministro como um dos sócios. Nesses empréstimos, foram dados descontos de milionários extraídos dos juros.

Em um dos empréstimos relatados pela reportagem, os descontos chegam a R$ 2,2 milhões. Mendes negou favorecimento ou conflito de interesses, afirmando ao Buzzfeed que “renegociações são decorrentes da redução dos juros praticados pelo mercado financeiro”.

A lei da magistratura veda “exercer o comércio ou participar de sociedade comercial, inclusive de economia mista, exceto como acionista ou quotista”. O ministro poderia ter quotas de empresa, mas não atuar na administração da empresa. Apesar de Gilmar Mendes costumeiramente negar que seja dono, o Buzzfeed obteve documentos bancários de oito contratos com o Banco assinados pelo ministro, como avalista das operações bancárias.

Os empréstimos, de acordo com a reportagem, começaram em 2011. “O combinado com o Bradesco era pagar em oito anos, começando apenas em abril de 2013. Seriam 102 parcelas de R$ 177 mil. Chegou então a hora de pagar. Começaram, também, as renegociações, sempre favoráveis ao IDP”, diz trecho da reportagem. Ainda segundo a matéria, "“o sistema de jurisprudência do STF aponta cerca de 120 decisões tomadas pelo ministro e que tem o banco e suas subsidiárias como parte, além de outros acórdãos e processos sob relatoria de Gilmar Mendes".

    Veja também

    Últimas Notícias

    Clique aqui e cadastre-se para receber nossos INFORMATIVOS

    cadastre-se

    Faça seu Login

    Recuperar Senha / Primeiro acesso

    O e-mail foi enviado com sucesso.

    Ocorreu um erro no envio.